Páginas

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

John Dalton

Jhon Dalton




Biografia
Introdução
John Dalton nasceu em 6 de setembro de 1766 em Eaglesfield (Inglaterra) e morreu no dia 27 de julho em Manchester. Ele foi um químico, físico, e metereologista.
         Dalton é bem conhecido por ser o primeiro a estudar as teorias atômicas e o daltonismo.
Vida e obra
John Dalton nasceu em Eaglesfield na Inglaterra numa família Quaquer ( Grupo de religiosos ingleses criados na década de XVIII). Quando ele tinha 15 anos, passou a dar aula em uma escola do seu primo chamada Kendal.
Por volta de 1790, ele decidiu fazer direito ou medicina, mas esses cursos não se encaixavam em seus planos, mesmo com o encorajamento dado por seus parentes, até que em 1793 ele se mudou para Manchester.
Ele lecionava matemática, física e química no New College. Dalton fez diversas pesquisas nas áreas de física, química, linguística e gramática. Mas duas de suas pesquisas viraram grandes destaques: A primeira teoria atômica moderna e a anomalia da visão das cores, conhecido com daltonismo, uma anomalia que ele tinha.
Dalton desenvolveu sua teoria sobre modelos atômicos em diversas conferências, como as na Royal Institution de Londres, nos anos de 1805 e 1804. Em 1807, com o seu consentimento, Thomas Thomson incluiu um sumário da teoria atômica na terceira edição de sua obra System of chemistry (Sistema de química). O próprio Dalton, no ano seguinte, no primeiro volume do seu New system of chemical philosophy (Novo sistema de filosofia química), apresentou as bases de sua nova teoria.


Modelos Atômicos
Modelo de Dalton
         De acordo com o modelo atômico de Dalton, o átomo era uma esfera rígida, sólida, neutra densa e indivisível, e era parecido como uma bola de bilhar. Depois foi provado o contrário por JJ Thomson, que foi capaz de descobrir o elétron, partícula provida de carga negativa.
Modelos Atuais
            Os modelos atômicos atuais são quantificados, baseados nos princípios de mecânica quântica de Theisenberg, Böhr dentre outros. Dividindo o elétron e orbitais, os mesmos elétrons podem variar no orbital, basta que possuam energia suficiente para tal.
            Diferentemente do modelo de Dalton, o modelo atual não é mais necessariamente neutro, uma vez que pode ganhar ou perder elétrons. Também não é mais indivisível, uma vez que foram descobertas partículas menores, como os nêutrons, prótons e elétrons, meson e outras ainda menores. Nem todos átomos são dens os, também não são mais considerados rígidos.
Modelo atômico proposto por Dalton onde o átomo se parece uma bola de bilhar
Modelo atômico atual onde o átomo apresenta prótons, elétrons e nêutrons.

Daltonismo
Introdução
         Daltonismo é uma deficiência onde o portador tem dificuldades de distinguir certas cores. Esta anomalia tem origem hereditária, mas pode ser causada por uma lesão em algum órgão responsável pela visão, ou por algum problema no sistema neurológico.
            Dalton, também portador desta anomalia, foi o primeiro a estudar esta doença.
Causas do Daltonismo

            Na retina contém uma célula chamada cone, que permite o olho de distinguir as cores. Existem três tipos de cones, onde cada um deles é sensível a uma cor: o primeiro ao azul, o outro ao verde, e o último ao vermelho. Quando um deles apresenta alguma deficiência, os cones não diferenciam certas cores, gerando então o daltonismo.
O daltonismo hereditário é localizado no cromossomo X. Ela é mais comum nos homens, pois estes apresentam dois cromossomos X, enquanto a mulher apresenta somente um. Porém os homens só podem passar o gene do daltonismo para sua filha, que não necessariamente irá adquirir a deficiência, mas esta filha tem chance de 50% de ter um filho com esta anomalia. O daltonismo também pode ser causado por doenças nos olhos, danificações na retina e na macula. 
Células cones

Tipos de Daltonismo
Existem três tipos de daltonismo, que são:
Monocramacia: O portador pode ver somente o preto e o branco

Forma de um portador da monocramacia ver.

Dicromacia: É a ausência de um dos cones, ela é dividida em Protanopia (ausência na retina de cones vermelhos), Deuteranopia (ausência do cone verde), Tritanopia (ausência do cone azul). Ele não enxerga a cor que ele tiver o cone ausente! 
   
Tricomacia anômala: Resulta de uma mutação no pigmento dos fotoreceptores dos cones retinianos , e manifesta-se em três anomalias distintas: Protonomalia (pigmento sensível a cor vermelha), Deuteranomalia (pigmento sensível a cor verde), Tritanomalia (pigmento sensível a cor azul).


Forma de uma pessoa que apresenta algum tipo de Tricomacia anômala de ver.

Lei de Dalton
Introdução
            Em química e física, a Lei de Dalton diz que o total da pressão feita por uma mistura gasosa é igual à soma da pressão parcial de cada componente numa mistura gasosa. Esta lei foi observada por John Dalton em 1801 e está relacionada com gás ideal, e as leis dos gases.
Fórmula Matemática
         A pressão total, de acordo com Dalton, é a soma de todos os componentes gasosos de uma mistura gasosa.   
Esta é a fórmula da Lei de Dalton:
P total = p1 + p2 + p3... pn
Ou seja, se nós misturarmos uma quantidade de volume igual, como por exemplo, o Argônio (ar) e o hélio (He) e mantermos na mesma temperatura, chegaremos à conclusão que a soma das pressões que os componentes têm é a pressão total do correspondente, veja:

P total = pHe + pAr 

           A soma da pressão parcial da molécula de O²  mais
 a molécula de N² são iguais à pressão total




Bibliografia
http://www.brasilescola.com/quimica/lei-de-dalton.htm


Alunos: Maurício Abreu
             Luis David 
            Renan Sales
           Lorena Magalhães 
         João Rodrigues 
        Josemberg Filho
      Letícia de Góis








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário